Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Breadcrumbs

pble 1240 247

Início do conteúdo da página

Perguntas frequentes sobre Banda Larga nas Escolas

1. A internet não está funcionando, o que devo fazer?

Para a solução de problemas técnicos (falta de sinal, configuração de modem, intermitência do sinal, etc.), com o número do circuito e o código INEP da escola em mãos, é necessário fazer contato com a Operadora da região pelo serviço de discagem gratuita:

- BRASIL TELECOM/Oi

0800 648 1412 para os estados AC, DF, GO, MS, MT, PR, RO, RS, SC e TO.

0800 648 1118 para os estados AL, AM, AP, BA, CE, ES, MA, MG, PA, PB, PE, PI, RJ, RN, RN, RR e SE.

- CTBC Reclamações e serviços: 0800 940 9992

Atendimento: 0800 940 1331

- SERCOMTEL

Atendimento: 0800 400 1156

- TELEFÔNICA

Atendimento: 0800 771 5280

Caso a operadora não resolva o problema, é necessário entrar em contato com a ANATEL através do seu canal de denúncias, seguindo os seguintes passos:

I - Tenha em mãos o número de protocolo da operadora, o número do circuito e o código INEP da escola;

II - O registro deverá ser feito, preferencialmente, com o nome e CPF do Diretor da Escola em um dos canais abaixo:

-    Por meio de atendimento via Internet no site da Anatel: www.anatel.gov.br, no fale conosco;
-    Através da Central de Atendimento Telefônico, no número 1331 (ou 1332, para deficientes auditivos).
-    Pessoalmente, nas Salas do Cidadão, presente em diversos Estados.

No atendimento via internet, há dois caminhos para o registro:

a)    Reclamação >> Banda Larga Fixa >> Instalação ou Ativação ou Habilitação >> Instalação de Banda Larga na Escola - PBLE.

Ou

b)    Reclamação >> Banda Larga Fixa >> Instalação ou Ativação ou Habilitação >> Aumento da velocidade da conexão de dados na Escola - PBLE.

III - Aguarde e acompanhe o prazo de cinco dias úteis para resposta.

Assim que recebe sua reclamação, a Anatel a encaminha para a sua operadora de serviços, que terá cinco dias úteis para dar uma resposta ou solução. Será a operadora, e não a Anatel, quem irá lhe responder. Você pode acompanhar o andamento da solicitação pela internet, no site da Anatel, ou ligando para o 1331.

Neste último caso, você não precisa nem esperar o atendente. Basta digitar o número da solicitação, quando indicado.

IV - A operadora não respondeu ou a resposta não foi adequada? Volte a entrar em contato com a agência.

Se, após cinco dias úteis você não receber uma resposta de sua operadora, entre em contato com os mesmos canais de atendimento da Anatel para reiterar sua reclamação. Caso a operadora tenha respondido, mas a resposta não tiver sido adequada, você tem o prazo de até 15 dias úteis (contados a partir da resposta) para voltar a entrar em contato com a Anatel e solicitar a reabertura da reclamação original.

2. A minha escola ainda não possui o PBLE, quando ela será conectada?

O PBLE prevê o atendimento de TODAS as escolas públicas urbanas de nível fundamental e médio, assim como as escolas públicas urbanas de formação de professores. Ainda, o programa atua com base nas informações do censo da educação básica, onde anualmente a lista de obrigações é atualizada com as novas escolas elegíveis para atendimento.

Diante dos esclarecimentos, a inclusão das escolas na lista de atendimento pelo PBLE é automática, não sendo, portanto, necessário solicitar ou aderir ao programa.

3. Para a efetivação da instalação da internet, é necessário que a escola apresente alguma condição especifica de infraestrutura interna?

Sim. Para a efetivação da instalação é necessário que as escolas apresentem:

-    Rede elétrica
-    Tubulação de entrada
-    Fiação interna

Além da questão de infraestrutura, é imprescindível que as unidades educacionais mantenham seus dados cadastrais atualizados tanto no INEP quanto no Sistema de Gestão Tecnológica - SIGETEC do FNDE, pois as operadoras utilizam estes sistemas para realizarem os agendamentos, tirar dúvidas, etc.

4. Se a minha escola não apresentar as condições necessárias de infraestrutura, ela perde o direito de receber a conexão?

Não, a escola não perderá o direito. No entanto, a mesma entrará para uma lista de pendência de atendimento da operadora e somente retornará para o escopo de atendimento quando a pendência for sanada.

A lista de pendência também envolve as escolas com divergência de dados cadastrais (falta de endereço, inativa, etc.), em reforma, dentre outras situações.

Para saber se a sua escola apresenta alguma pendência de atendimento, procure a Secretaria de Educação ou a Coordenação do PROINFO em seu estado/município.

5. A minha escola não foi conectada pelo fato de apresentar pendência de infraestrutura, o que devo fazer?

Caso a escola não disponha de infraestrutura interna apropriada para receber a conexão do PBLE, a adequação do espaço é de responsabilidade da própria unidade educacional ou da Secretaria de Educação. Desta forma, para que a unidade volte ao escopo de atendimento, a equipe do PBLE, por meio do endereço eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., deverá ser comunicada acerca do saneamento da pendência e, a partir disto, será solicitada pelo FNDE à operadora, uma nova visita técnica na unidade educacional. É importante destacar que a operadora, quando recebe a informação do FNDE de que a pendência foi sanada, possui o prazo de 01 (um) a 60 (sessenta) dias para proceder com o atendimento.

6. Existe algum modelo de infraestrutura a ser seguido?

Para a operadora Oi, há um modelo a ser seguindo, o qual segue abaixo. Este modelo também poderá ser utilizado por escolas cujo atendimento ocorre por outra operadora participante do programa.

Modelo exigido pela operadora Oi:

a)    Tubulação de Entrada:

-    Tubulação para passagem do cabo telefônico da rede externa da OI até a caixa interna da escola.
-    A tubulação de telecomunicações de entrada deve ser de 20 mm (3/4-) de PVC rígido ou ferro galvanizado. Não é permitido usar tubo flexível (corrugado).
-    Caixa de passagem ou de entrada deverá ser de chapa de ferro, de 10X10X5 cm (figura 8), própria para embutir em paredes, e ser instalada próxima à base do poste. Se forem necessárias outras caixas de passagem para entrada de telecomunicações, estas deverão ser de 10X5X5 cm (4X2"), semelhantes às usadas em instalações elétricas.

Situações:

-    Prédio com infraestrutura de dutos até o poste da calçada e sem cabo de entrada da Oi:

A rede interna deve começar no duto instalado no poste da calçada e terminar no local dos equipamentos.

Ilustração:

-    Prédio com cabo de entrada da Oi:

A rede interna deve começar na caixa que está alocada dentro do prédio e terminar no local dos equipamentos.

Ilustração:

-    Prédio sem cabo de entrada da Oi, sem dutos externos na infraestrutura e com poste particular do prédio:

A rede interna deve começar no poste particular do prédio e terminar no local dos equipamentos.

Ilustração:

-    Prédio sem cabo de entrada da Oi, sem dutos externos na infraestrutura e sem poste particular do prédio:

A rede interna deve começar na fachada do prédio e terminar no local dos equipamentos.

Ilustração:

b)    Rede Elétrica:

-   Existência de tomadas elétricas no novo Padrão Brasileiro de Plugues e Tomadas padrão ABNT - NBR 14136 (2P T). O número de tomadas deve ser igual ao de equipamentos instalados. As distâncias entre as tomadas e o local pra acomodação dos equipamentos não devem ser superiores a 1,50 m. É recomendado o uso de no-break pra proteção elétrica dos equipamentos e de falta de energia.

c)    Fiação Interna:

-    Existência de fiação interna interligando o quadro de distribuição ou caixa interna até o laboratório.
-    Utilização de fios ou cabos elétricos do tipo Multilan ou CI, separados dos fios e cabos da rede elétrica e protegidos por conduítes, calhas, esteiras, canaletas ou dutos, respeitando as normas técnicas de instalação e dimensionamento.
 

TRECHOS COMPRIMENTOS MÁXIMOS (sem caixa de passagem)
Verticais Retilíneos 15 m
Verticais Horizontais 30 m
Com uma curva Vertical 12 m
Com uma curva Horizontal 24 m
Com duas curvas Verticais 9 m
Com duas curvas Horizontais 18 m


7. A operadora solicitou o número de circuito para atendimento técnico, como faço para consultar esse número?

No ato da instalação o técnico da operadora deixa o número do circuito em uma etiqueta afixada no modem. Essa informação também pode ser conseguida na Ordem de Serviço que foi assinada pelo responsável da escola atestando a instalação da conexão ou com o coordenador local do Programa Proinfo. Além dessas opções, o dado também pode ser obtido por meio da Central de Atendimento ao Cidadão 0800 616161 opção 2.

8. Qual procedimento deve ser realizado no caso da mudança de endereço da escola?

No momento, é necessário encaminhar o pedido para o endereço eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. com os seguintes dados: Nome da escola; INEP; Endereço antigo e novo (incluindo o CEP), motivo da mudança (situações de mudanças provisórias é necessário informar o tempo de permanência no local), nome e telefone de contato do Diretor.

Segue um modelo de solicitação:

NOME DA ESCOLA:
INEP DA ESCOLA:
CIRCUITO/TERMINAL DA ESCOLA:
NOVOENDEREÇO:
Logradouro:
N°:
Bairro:
CEP:
Município:
UF:
ENDEREÇOANTIGO:
Logradouro:
N°:
Bairro:
CEP:
Município:
UF:
CONTATO ESCOLA:
Nome:
Telefone:
MOTIVO DA MUDANÇA:

9. A operadora efetuou a instalação, mas a internet não está funcionando, o que devo fazer?

É de responsabilidade da operadora o funcionamento da internet, assim, um chamado técnico deve ser feito à Autorizada afim de que o problema da falta da conexão seja solucionado.

10. A velocidade da internet está muito lenta, o que devo fazer?

Com o número do circuito e o código INEP da escola em mãos, é necessário fazer contato com a Operadora da região pelo serviço de discagem gratuita (0800).

11. O modem queimou como proceder?

Caso confirmado falha do equipamento, a escola/Secretaria de Educação deverá providenciar a aquisição de um novo equipamento e tão logo esse esteja disponível fazer a abertura de chamado pelo canal 0800 para que a operadora faça a configuração necessária.

Para garantir a possibilidade de monitoramento da conexão da escola pelo Governo Federal e manter a qualidade dos serviços é necessário à aquisição de modens específicos, conforme a tabela abaixo:
 

Prestadora Fabricante
do modem
Modelo Versão Firmware UF de utilização
CTBC ADB Broadband DRG A112 DRGA112_1.02SL_TR69_A MG, SP, GO, MS
CTBC ADB Broadband P.DG A4010G 1.0.37-102.6 MG, SP, GO, MS
CTBC Baytec RTA04N V01.11 Build.131122 Rel.0639657 MG, SP, GO, MS
CTBC Comtac WN9135 209.129.1-12 MG, SP, GO, MS
CTBC Comtrend AR-5080 E9.4T41-1-CTR-R3B040-TW.EN MG, SP, GO, MS
CTBC Comtrend AR-5347 TC11-73376ALG-C01_R03 MG, SP, GO, MS
CTBC Dlink DSL-2500E CT.20130809 MG, SP, GO, MS
CTBC Dlink DSL-2730B_A1 BCM-1.00.CT.20110504 MG, SP, GO, MS
CTBC Dlink DSL-2730R_A1 CT.20120828 MG, SP, GO, MS
CTBC Dlink DSL-2730E CT.20131125 MG, SP, GO, MS
CTBC Dlink DSL-2730N CT.20140718 MG, SP, GO, MS
CTBC Dlink DSL-2740E CT-20140610 MG, SP, GO, MS
CTBC Intelbras GKM1210Q 1.4.0 MG, SP, GO, MS
CTBC Intelbras GKM1220 1.0L.01 MG, SP, GO, MS
CTBC Technicolor TG508v2 6.11.22.1 MG, SP, GO, MS
CTBC Technicolor TG580v2 2.01.27.01a MG, SP, GO, MS
CTBC Comtremd VR3022 H631-406CTL-C01_R03.A02pv6C032a.d23b MG, SP, GO, MS
CTBC Comtremd VR3031 RA31-412ALG-C3_R01_DSP.A2pv6F039i.d24e MG, SP, GO, MS
TELEFÔNICA DLINK 500B G1 HW B1 BCM-6332.TF.20090522_df_poe SP
TELEFÔNICA DLINK 500B G1 HW B1 BCM-6338.TF.20090603_df_poe SP
TELEFÔNICA DLINK 500B GII HW C1 e C2 BCM-6332.TF.20090522_df_poe SP
TELEFÔNICA DLINK 500B GII HW T1 BCM-3.10L.TF.20090522_df_poe SP
TELEFÔNICA DLINK 500B GII HW T1 BCM-3.10L.TF.20090522_df_poe SP
TELEFÔNICA CONTREND 500B GII HW C1 e C2 BCM-6332.TF.20090522_df_poe SP
TELEFÔNICA CONTREND 5072S B011-306TFB-C01_R04_df_poe SP
TELEFÔNICA OPTICOM 260E 10.3.070723TL1 E.37.7.70df_poe SP
TELEFÔNICA OPTICOM DSLINK 260E 10.3.070723.TL1 E.37.7.70df_poe SP
TELEFÔNICA THOMPSON TG508 FW6.6.11.25 SP
TELEFÔNICA THOMPSON 510 V6 6.1.4.9 SP
TELEFÔNICA ZTE ZXDSL 831 ZXDSL 831IIV7.5.2c_Z29_TFL1_df_poe SP
TELEFÔNICA Digitel SHDSL T11400 FLASH 751.24 AZ 752.27 SP
TELEFÔNICA Digitel SHDSL C11400 FLASH 751.24 AZ 752.27 SP
TELEFÔNICA Digitel SHDSL T11400E FLASH 745.11AZ 746.12 SP
TELEFÔNICA Digitel C11400E FLASH 745.11AZ 746.12 SP
TELEFÔNICA Digitel BSTU EG NT/LT Versão:1.20 SP
TELEFÔNICA DATACOM Modem DM991S Versão: 2 fios - Modelo BIS Firmware_Version: 150 SP
TELEFÔNICA DATACOM Modem DM2290 Firmware_Version: 150 / 200 SP
TELEFÔNICA DATACOM Modem DM991C Firmware_Version: 150 / 200 SP
TELEFÔNICA DATACOM Modem DM991SE Firmware_Version: 150 / 200 SP
TELEFÔNICA DATACOM Modem DM991CE Firmware_Version: 150 / 200 SP
TELEFÔNICA PARKS Powerlink 840 GV/T Versão: 2.0.7 SP
TELEFÔNICA PARKS Powerlink 841 GV/T Versão:2.0.6 SP
TELEFÔNICA PARKS Powerlink 840 GVE Versão:2.0.7 SP
TELEFÔNICA PARKS Powerlink 841 GVE Versão: 2.0.6 SP
TELEFÔNICA PARKS Titanium 1004 Versão:2.1.78 SP
TELEFÔNICA RAD LA210 3.61.05 SP
TELEFÔNICA RAD ASMi-54L Versão:2.67 SP
TELEFÔNICA RAD ASMi-52 Versão:2.67 SP
TELEFÔNICA RAD S-RPT/4W (regenerador) Versão:1.6 SP
TELEFÔNICA Digistar EML81 Versão: 2.1 SP
OI ZTE 831V2 OI_FWVER_3.18.1.0_TC3087 AL, AM, AP, BA, CE, ES, MA, MG, PA, PB, PE, PI, RJ, RN, RR, SE
OI Telsec TS9000 OI_RTK V2.1.1 AL, AM, AP, BA, CE, ES, MA, MG, PA, PB, PE, PI, RJ, RN, RR, SE
OI DLINK 2500E OI_V1.10 Build.120252 Rel.0655340 AL, AM, AP, BA, CE, ES, MA, MG, PA, PB, PE, PI, RJ, RN, RR, SE
OI ZTE ZXDSL 831III OI_ 831IIV7.5.1a_Z29BTM AC, DF, GO, MS, MT, PR, RO, RS, SC, TO
OI Sagemcom Fast 2704N OI_7.280.0_F2704N AC, DF, GO, MS, MT, PR, RO, RS, SC, TO
OI Technicolor TD5136 v2 OI_FW_V20 AC, DF, GO, MS, MT, PR, RO, RS, SC, TO



12. Quem realiza a configuração do novo modem?

É necessário entrar em contato com a operadora para solicitar a configuração do modem.

13. Como aumentar a velocidade da internet fornecida pelo Programa Banda Larga nas Escolas?

De acordo com o Termo Aditivo (documento que define o Programa Banda Larga nas Escolas - PBLE), a velocidade mínima a ser instalada é de 2 (dois) Megabit por segundo (Mbps) para download (sentido rede para a escola), e pelo menos um quarto dessa velocidade para upload (sentido escola para a rede). Há uma possibilidade de ampliação onde, por meio de uma equação matemática aplicada pela própria operadora em sua rede, as instituições que estiverem nos centros de fios com conexões acima de 2Mbps recebem a média da melhor oferta.

Estamos trabalhando para que TODAS as escolas tenham velocidades adequadas para a suas necessidades, porém não temos condições jurídicas de exigir o atendimento com velocidades superiores a 2Mbps, que é a atual velocidade mínima.

Conexão Satelital

Para as escolas conectadas por satélite a velocidade será de pelo menos - da velocidade ofertada na tecnologia ADSL ou que utilizem tecnologias cabeadas.

14. A operadora realizou somente uma visita e a internet ainda não foi instalada.

A escola deve aguardar, pois, em alguns casos, o serviço não é concluído em apenas uma visita. A operadora deve retornar à escola e concluir a instalação em até 15 dias contando a partir da data da primeira visita.

15. A internet está conectada em apenas um computador, qual o procedimento para distribuir a internet para os outros computadores?

Nesse caso, a escola deve adquirir o roteador, ou utilizar o equipamento doado juntamente com o laboratório do PROINFO, para fornecer a internet para os outros computadores. A configuração em rede deve ser providenciada pela Secretaria de Educação ou pela própria escola.

16. Se a escola for extinta, ela pode realizar a transferência da internet para outra escola?

Não é possível remanejar a conexão de uma escola para outra, uma vez que o circuito do Programa Banda Larga nas Escolas está relacionado ao INEP da escola, ou seja , intransferível . Dessa forma, quando um INEP (escola) é extinto, o circuito é cancelado.

17. A operadora informou que a internet da escola foi cancelada, o que devo fazer?

Somente há casos de solicitações de cancelamento por parte do PBLE quando a escola perde a elegibilidade ou deixa de existir. Nesse sentido, caso a escola não se enquadre em nenhuma dessas situações, deve-se, novamente, entrar em contato com a operadora para solicitar o atendimento. Caso o problema não seja solucionado, é necessário entrar em contato com a central de atendimento do FNDE portando o número do protocolo de atendimento e o nome do atendente da operadora.

18. O PBLE prevê atendimento para prefeituras municipais de educação?

O PBLE prevê o atendimento somente para escolas públicas urbanas de nível fundamental e médio de todo o país, bem como instituições públicas de formação de professores, tais como Pólos da Universidade Aberta do Brasil (UAB), E-TEC Brasil, IFETs, EFETs, Núcleos de Tecnologia Educacional (NTE) e Núcleos de Tecnologia Municipal (NTM).

19. A escola pode ter duas conexões do Programa Banda Larga?

De acordo com o Termo Aditivo do Programa, é permitida a instalação de apenas uma conexão por INEP (escola), independentemente da demanda ou do número de computadores que a escola possui. Existem situações específicas em que há a instalação de duas conexões. Quando duas instituições (que possuem números INEP distintos) ocupam o mesmo espaço físico e possuem infraestrutura distinta de laboratório de informática (por exemplo, uma escola de ensino médio que abriga um Pólo e-Tec Brasil.

20. E quanto à conexão das escolas rurais?

Atualmente existem dois programas que fornecem conexão à escolas rurais, são eles:

GESAC: Programa mantido pelo Ministério das Comunicações que atende entidades rurais, para maiores informações acesse o link: http://www.mc.gov.br/gesac.

Projeto de Conectividade Rural: criado a partir da obrigação imposta pela ANATEL para as operadoras de telefonia por meio do Edital de Licitação Nº 004/2012/PVCP/SPV. Link de acesso às informações do Projeto: http://www.anatel.gov.br/Portal/exibirPortalPaginaEspecial.do?acao=&codItemCanal=1959&codigoVisao=$visao.codigo&nomeVisao=$visao.descricao&nomeCanal=Universalização e Ampliação do acesso&nomeItemCanal=Atendimento Rural&codCanal=289.

Fim do conteúdo da página